A partir de 1 de Fevereiro de 2016, o NIB é substituído pelo IBAN.

A principal diferença entre o NIB (número de identificação bancária) e o IBAN é que este é precedido de PT50. Depois, acrescem os 21 dígitos do NIB. Ambos os números podem ser consultados numa caixa Multibanco, no homebanking ou ao balcão do banco. Também estão mencionados nos extratos bancários ou nas cadernetas.
Nos débitos diretos que utiliza para pagamentos das suas contas mensais não deve existir motivos para preocupações.

O uso do NIB vai resumir-se a transferências ordenadas na rede Multibanco, passando a ser obrigatório o IBAN para as restantes transferências bancárias, mas quem deu ordens de débito direto, para pagar serviços como água ou eletricidade não tem de se deslocar ao banco para fazer a mudança de NIB para IBAN.

Os clientes particulares têm a partir de 1 de Fevereriro de passar a indicar o IBAN das contas do ordenante e do beneficiário, que passa a ser o identificador único das contas, tendo todos os pagamentos que ser iniciados com a indicação do IBAN, exceto nas transferências nacionais no Multibanco.
Para as empresas já há mais exigências: "Os organismos da Administração Pública e as empresas que não utilizem o IBAN como identificador das contas e o formato ISO 20022 XML na comunicação com os seus bancos ver-se-ão impossibilitados de concretizar transferências a crédito e débitos diretos (por exemplo, pagamentos de salários, pagamentos a fornecedores ou cobranças de bens e serviços." adverte o Banco e Portugal.
Mas esta mudança não deverá, no entanto, trazer problemas às empresas quando pagarem a fornecedores ou salários a trabalhadores, porque o IBAN é muito semelhante ao NIB,
precedendo aos 21 dígitos do NIB o código do país, que em Portugal é PT50.